Vida de Mãe - Amamentação II


Já falei aqui no blog como encontrei ajuda para os problemas que tive  na amamentação ( veja AQUI), mas hoje vou contar para vocês como foi a minha experiência do início ao fim. Deixando claro que o que passei não é exemplo ou melhor alternativa para ninguém, pois sei que muitas mães querem amamentar  e às vezes não conseguem e acabam optando pelo leite artificial. Nem por isso seus filhos crescem menos saudáveis e fortes do que os que mamaram no peito. Assim como conheço mães que não tiverem sequer um problema, incômodo,  rachadura ou dor , e amaram amamentar.
Quero só dizer as minha leitoras futuras mamães, que vale a pena tentar , e as vezes uma ajuda ou uma orientação correta, fazem toda a diferença.


Desde o primeiro dia que soube que estava grávida a única coisa que eu realmente queria era poder amamentar. Já haviam me contado da dificuldade dos primeiros dias após o nascimento, mas você realmente só sabe o que é isso vivenciando essa experiência.
De fato amamentar não é apenas uma questão de querer. Muitas vezes o seu corpo não responde a essa vontade, o seu bebê não se adapta ou suga direito, e imprevistos podem acontecer.
Amamentar exige disciplina, doação, e principalmente; determinação.

Eu tive desde o inicio uma produção excessiva de leite. E ao contrário do que possa parecer, excesso de produção não é nada bom, e me causou uma séria de incômodos e dores, isso unido a toda a dificuldade na rotina com um bebe recém nascido.
Mas o pico do meu sofrimento foi poucos dias após ter uma mastite ( que já é bem dolorosa), ter um empedramento horrível em um dos seios. Tive que chamar uma enfermeira para drenar meu peito manualmente até aliviar um pouco. E essa drenagem durou quase 3 horas de muita dor, e era tão forte que não me lembro de ter chorado tanto por algum motivo físico em toda minha vida. Fora o sangramento e rachadura no bico que me faziam ver estrelas a cada mamada.

Chorei muito nos primeiros 20 dias pois não agüentava mais tanto sofrimento. Não entendia como alguém poderia gostar de amamentar. Eram de 7 a 8 mamadas por dia. Nem lembrava que tinha feito uma cesárea pois o peito doía tanto , que o corte da cirurgia não era nada.
Mas não me sentia no direito de parar de amamentar tão cedo, eu tinha que tentar mais um pouco.
Entao eu pensei; o que doeria menos em mim? A dor física e o cansaço causado pelas dores no peito e noites sem dormir , ou a dor emocional de secar meu leite e passar a dar mamadeira. Pois eu teria que tomar um remédio para secar e parar de produzir.
E então decidi que agüentaria mais um pouco.

Depois desses primeiros dias até minha filha completar 4 meses fui me adaptando as dificuldades da produção em excesso, pois meu médico me garantiu que em algum momento a produção se estabilizaria e não empedraria ou doeria mais. Então aos poucos a produção começou a melhorar e eu a ter uma alegria enorme em ver minha filha crescendo e engordando apenas com o meu leite , e mais a força do relacionamento mãe e filho que a amamentação propicia.

Acabei amamentando com o maior prazer do mundo até quase 8 meses , o que foi uma grande conquista. Não só para mim que superei meus limites, mas principalmente para minha filha que é hoje uma criança super saudável. A decisão de parar também foi sofrida, pois além de ter que tomar várias doses de um remédio fortíssimo, tive que mais uma vez aguentar o peito empedrando e doendo para poder diminuir as mamadas e parar de produzir aos poucos. E nunca imaginei que choraria no dia que tomei o remédio e que sentiria sim saudades.
E depois que tudo isso passou confesso que vivi uma experiência incrível, pois entre tudo que já fiz na minha vida, amamentar foi disparado o que me deu mais orgulho e felicidade.  Valeu mais do que a pena.


E vocês, como foram sua experiência com amamentação?
| Categorias:

12 comentários:

  1. Querida amiga,

    Adorei o post sobre amamentacao. Eu ja contei um pouco da minha historia aqui http://nanamamaenana.blogspot.com/2011/06/amamentacao.html
    Mas minha historia foi muito parecida com a sua, com a diferenca que minha producao de leite nao era alta. Era apenas suficiente para a Sophia. Nao sobrava. Tinha dificuldades em tirar o leite com a bombinha para deixar numa eventual emergencia. Outra diferenca foi que amamentei praticamente exclusivo 5 meses. Depois que comecei o LA a Sophia simplesmente desmamou sozinha. Sofri com a producao, o empedramento de novo. Mas tudo foi se adaptando.
    Confesso que amamentar foi uma das coisas mais lindas que ja fiz na vida. Descobri em mim um sentimento que pensei inexistir. Um amor incondicional, uma emocao gigante em olhar minha princesa sugando meu peito. So de lembrar me emociono e choro de saudades!!!
    Valeu muuuito a pena!!!

    ResponderExcluir
  2. oi Kátia....eu também sofri para amamentar...mas somente no seio do lado esquerdo....sentia umas dores terríveis que começaram no 15o dia depois do nascimento do Theo.....fui ao medico e ninguém descobria o que eu tinha.....minha medica depois de muitas tentativas disse para eu começar a passar catflan ao redor do seio e isso fez melhorar 100%...e depois disso só alegria....o Theo esta com 5 meses e ainda mama no peito,,,,mas agora toma o nan para complementar.....bjus

    ResponderExcluir
  3. pq vc fez cesaria? tentou parto normal?
    pq decidiu parar de amamentar ate os 8 meses? vc escolheu ou o medico?

    ResponderExcluir
  4. Lindo o que vc escreveu, passei por quase tudo que vc escreveu... e a mulher não é mais mãe quando amamenta mais que 8 meses, só consegui amamentar até os 7 meses, na volta para o trabalho meu bb parou de aceitar... e uma mãe que faz parto normal, não é mais mãe do que aquela que fez cesárea, o meu foi cesárea por escolha minha, com os meus pqs, e tanto eu qto vc somos excelentes mães, bjos Fran

    ResponderExcluir
  5. Eu fiz cesarea pois com 39 semanas a Bruna já tinha 4kgs! nao teria como ter parto normal pois sou super pequena!!

    ResponderExcluir
  6. Lindo seu relato e encorajador! Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Camila, mamãe da Julia25 de agosto de 2011 17:38

    Parabéns pelo relato e te digo que passei pelo mesmo no início da amamentação... meu peito rachou, sangrou, empedrou, enfim tudo o que tinha direito... mas segui firme e forte e depois de mais ou menos 1 mês já não tinha mais rachaduras e a produção deu uma pequena regularizada, mas ainda produzo mais leite que minha Julia mama e por isso para não sofrer mais com essas mastites doloridas, estou tirando o excesso e ao invés de jogar fora estou ajudando um banco de leite humano... com isso além da alegria imensa de amamentar minha pequena consigo ajudar outros pequeninos ;)

    ResponderExcluir
  8. OI Katia, parabens pela determinacao, amamentar e mesmo uma doação. So nao ficou claro o porque de vc ter parado de amamentar aos 8 meses, sendo que a recomendacao da OMS e da SBP é de no mínimo 2 anos.

    Outra coisa, meu 2 filhos nasceram de PN, os 2 com mais de 4 kg, nao houve nenhum problema, por que afial, sabemos que a ultra erra e muito o peso do bebe

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, Kátia. Inicialmente gostaria de lhe parabenizar pelo seu esforço!! Realmente, AMAMENTAR NÃO É FÁCIL!! As fórmulas prontas dão maior sensação de saciedade. O bb dorme mais e a mãe tbem. É preciso ter essa conciência, pq qdo a mãe liga para o pediatra dizendo q o leite não está sendo suficiente, a primeira coisa q muitos médicos fazem é passar leite industrializado. É mais fácil pra todo mundo, inclusive pra ele. A desculpa de não produzir leite, em regra, é esfarrapada, da mesma forma de que a de o leite ser fraco.
    Conheço diversas mães que não tiveram a sua determinação e desistiram logo. Achei interessante a sua comparação entre a dor física e a dor de n poder amamentar.

    ResponderExcluir
  10. Mamães, eu sofri muito com a amamentação também, meu maior sonho era amamentar os 6 meses pelos menos e não consegui, por isso, não é desculpa não produzir leite suficiente não, eu fiz cirurgia de redução de mama e isso pode ter atrapalhado, eu sofri muito, chorei muito, fiquei até com depressão, meu GO tratou com medicamento e eu nunca desisti, fui atrás de ajuda de enfermeiras, banco de leite, ajuda de mamães com bebes novinhos também, achava que minha filha não sabia mamar, mas mamou muito bem numa amiga minha, quando eu vi que ela encheu a barriguinha e dormiu, fiquei tão triste, tive a certeza que o problema era com a produção de leite ... aluguei a bomba que simula o bebe mamando, pra tentar aumentar produção, tomei remédios, fazia massagem, fiz de tudo ... quando mas minha filha só chorava, mesmo depois de ficar mais de uma hora no peito. Por isso sempre tive que complementar as mamadas com leite artificial, quando ela passou a chorar menos e achei que tinha emplacado nas mamadas, um belo dia ela decidiu que não queria mais peito, só leite artificial, mesmo eu oferendo o artificial só em copinho como manda os pediatras, ai eu tirava o leite, 30 ml no máximo que eu conseguia e mistura com o artificial, pois se dava puro não tomava. Ela mamou até seus 3 meses e meio. E eu não pude fazer mais nada, logo os dentes surgiram também, não sei se tem relação.
    Mas de uma coisa eu tenho certeza, vale a pena tentar !!!
    beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Oi katia! Sua historia de vida esta me dando forcas pra prosseguir... Poiis, estou no segundo filho e tenho tido muiyas tristezas pois nao sei como dominar a situacao. Engracado como cada pessoa encara de um jeito. Parece que estou sendo mae de pimeira viagem. O fato de nao puder dar tanta atencao para meu primeiro filho de 4 anos, nem para meu marido, de ainda nao estar em casa, pois esta em reforma, estou na casa de meus pais e tenho tido ajuda deles, pelas noites em claro me faz tao triste. Talvez tenho sido egoista, Sei que tenho que ver minha bebezinha que esta com 22 dias coo uma bencao! Por favor me ajudem... Susy

    ResponderExcluir
  12. olá.. tenho uma bebe de 1 mes e estou com amamentação exclusiva. Mas as duas primeiras semanas tinha pouco leite e minha filha muita fome depois de passar dois dias com 2 horas de sono, tive que dar complemento 2 vezes e usar um remédio no nariz que estimula a produção de leite. Quanto a mastite, meu marido saiu para resolver a parte burocrática comprar presente para mim e minha princesa enquanto estava na maternidade e achou por acaso, concha para seios( foi um presentãooo) não deixa empedrar e ainda pode armazenar o leite. Também não tive problemas com o bico do peito, porque sempre hidrato com o próprio leite, não lavo com sabão e quando ela não está mamando corretamente paro até ela mamar correto. Meu único problema é que ela só tira cochilos durante o dia e dorme pouco a noite,ou seja, quase não dorme. abraços

    ResponderExcluir

 
Minhas diKAs Baby © Copyright 2011 | Design por Katia Ouang. Codificado por Delikka.