Vida de Mãe - Os filhos crescem, vem as frustrações


Nunca me esqueço do dia em que grávida da Bruna, no aeroporto esperando as malas chegarem, vi um pai com 2 filhos que fiquei horrorizada e atordoada.
As crianças davam chiliques, gritavam, se jogavam no chão e estavam super impacientes. Os pais gritavam, mandavam eles ficarem quietos, e nada. 
De repentes desistiram e simplesmente deixaram aquelas duas crianças chorando no chão . 
A mãe olhava com aquela cara de esgotada e o pai foi buscar as malas.

No meu ponto de vista eu pensava assim: Meu Deus, como os pais deixam essas crianças chegarem a esse grau de falta de educação? Gritando , se jogando.... ah, isso é culpa dos pais que fazem corpo mole e não  impõe respeito com certeza. Meus filhos nunca serão assim....

Ah Se eu soubesse...

E os pais que perdem a paciência e gritam com os filhos? Que absurdo! Eu nunca vou gritar assim com as minhas filhas...

Ah se eu soubesse....

Isso para apenas desabafar e contar que tenho passado alguns apertos com a Bruna. Algumas horas me culpo, outras acredito que todas as mães passam por isso. E já até chorei um dia que perdi a paciência com ela e segurei forte em sua mãozinha e gritei sem paciência para ela parar de dar chiliques.

Acho que ela está no famoso "Terrible Two". 
Ela é muito esperta e assumo, foi bastante mimada como todo primeiro filho.
E por ter ficado até os 2 anos e 4 meses sem ir para a escola e comigo trabalhando em casa o dia todo, é super ligada a mim.

A Bruna não é de dar showzinhos na frente de outras pessoas. Mas aqui em casa está dando um certo trabalho. 
Nessa fase em adaptação na escola, parece que ela está ainda mais carente, só quer ficar comigo, pede tudo chorando, faz malcriação, me desafia, não quer tirar a chupeta da boca....
Tenho tentado entender o lado dela que está se sentindo insegura por estar longe de mim algumas horas, e me esforçado para dar mais atenção e educar sem perder a paciência, impondo limites com sabedoria.

Mas não é fácil. Tem dias que conto até 100 para não explodir e queria apenas ter um botão para apertar e me transportar para um local sem choro de criança, com silêncio absoluto.
E nem sei quantas vezes sem saber mais como agir ou o que fazer, deixo ela dando seus chiliques e saio de perto. Pois descobri que sem platéia o chilique não tem tanta graça!

A real é que ela cresceu e está conquistando sua pequena independência. Tem vontade própria e sabe direitinho como me provocar.

E quando os filhos não são mais aqueles bebês que nós controlamos, colocamos no carrinho, escolhemos tudo que eles vão fazer, comer, vestir, nós também temos que aprender a lidar.

Aí sim começa a difícil tarefa de educar, que é um aprendizado a cada dia, e que muitas vezes frustra por não conseguirmos ter um resultado como de fato gostaríamos, e temos que muitas vezes viver com culpa e insatisfação. 
Pois é claro que toda mãe quer que seu filho tenha um comportamento exemplar e faz de tudo para isso.

Então cheguei a conclusão que a melhor maneira de me acalmar e não me culpar tanto é voltar no tempo e pensar; eu teria feito algo diferente? 
Não , eu não teria.
Teria mimado igual, teria deixado ela fazer tudo que fez e a teria curtido do jeito que eu fiz. 
Pois ainda tenho uma vida toda pela frente para educar, reeducar e ensinar o que considero bom e correto para ela. 

Por outro lado estou vivenciando uma fase maravilhosa de uma pequena pessoa se tornando gente.

A Bruna é muito esperta, conversa como um adulto, sabe tudo e tem uma alegria que é contagiante. E tem se tornado uma verdadeira companheira para mim. Há poucos meses era apenas um bebê e hoje senta para fazer a mão comigo, penteia meu cabelo, cantamos musicas juntas, voltamos da escola conversando no carro como verdadeiras amigas. É simplesmente delicioso!
E esses momentos deletam de vez toda a frustração e impaciencia de outros.


É por isso que hoje, com duas filhas, eu mais do que compreendo aquele casal no aeroporto esgotado e seus filhos se jogando no chão. 
Hoje acho que se depois de horas de voo e cansada, se minhas filhas resolvessem ter ataques no aeroporto, também estariam no chão gritando sem parar!

E vocês como mãe, também se sentem frustradas algumas vezes por não conseguirem dar conta dos chiliques dos seus filhos?
| Categorias:

30 comentários:

  1. katia,
    Como faz falta a experiencia, só passando para saber o que é ???
    julgar e mais facil, dificil e passar por aquilo......sempre pensamos conosco sera diferente, mas somos iguais .... e passamos pela mesma coisas.....talvez em momentos diferentes.
    Agora sim !!! entendo como e dificil a arte de educar..... agora sim !! entendo minha mae.... agora sim!!! entendo o quanto e dificil ser mae., Agora sim !!!!o quanto e dificil dizer nao e contrariar....
    Agora sei o que minha mãe sentiuuuu!!!!! obrigada mae e me desculpe qdo nao a correspondi.....Agora sim ha entendo !!!!!!!!
    bjs

    Deborah (mae da Sophia)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, também pensei super na minha mãe!
      beijao

      Excluir
  2. Katia faço de suas palavras as minhas!!! Tb me frusto às vezes ao me deparar com meu filho me tirando a paciência, me provocando e me "xingando" sim essa fase existe amiga pode se preparar lá com 3,5 anos ou 4 anos eles começam a xingar a mãe ai tem uma hora que vc se vê esgotada e não tem mais força e disposição para tentar impedi-los e acontece o que aconteceu com esse casal no aeroporto, triste realidade!rs
    Mas a parte boa é que conforme os anos vão passando eles vão criando vergonha do público ver eles chorando ou fazendo shows e vão dando uma maneirada, tomara que isso passe logo, né?!
    beijos sua linda!!!
    valquiria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber que eles começam a ter vergonha. Passa essa fase, vem outra, e assim vai né?
      Beijao querida!

      Excluir
  3. Katia,

    Outro dia a Folha publicou um artigo de quanto custa educar um filho ate os 23 anos- voltado a pessoas que estao pensando em ter filhos.
    Existe um foco muito grande no custo $, mas nunca leio um artigo com perspectivas emocionais, as quais sao dificeis de contabilizar! E sabemos melhor que ninguem... Haja paciencia!!!
    Sem contar com as maes que gostam de promover a "perfeicao" de suas casas e esconder esta lado dificil da maternidade.

    Muito bem escrito seu post!
    Tenho acompanhado seu blog ha alguns meses e queria te parabenizar por nao publicar posts somente voltados ao consumo mas sim posts voltados a reflexao!

    Tambem tenho 2 filhos e o mais velho tem 2 anos e 2 meses. Tenho me descabelado bastante... Mas vamos que vamos!
    Estou usando o Metodo "1, 2, 3 Magic!" e estou gostando bastante.

    Mais uma vez parabens pelo blog!

    Leticia Calonge [Mae do Caetano e do Benicio]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leticia, que metodo é esse? nao quer passar o que aprendeu???
      beijos

      Excluir
  4. Camila - Mamãe da Julia7 de março de 2013 08:15

    Oi Kátia,

    Seu texto caiu como uma luva no meu dia!
    Estava saindo do Consulado americano hoje de manhã depois de mais um "espetáculo"da minha filha de desobediência em público e me deparei com seu texto tentando ao menos me consolar...rsrsrs

    A Julia é muito esperta assim como vc descreve a Bruna. Já fala de tudo e conversa conosco claramente, portanto sei que ela entende cada palavra minha quando digo não, fica quieta, para. Ela nem fez 2 aninhos (falta 3 meses) mas com certeza absoluta já está na fase do Terrible Two ;(

    A culpa de não conseguir dominá-la juntando ao fato dos olhares de reprovação alheios são um balde de água fria na auto-estima de qualquer mãe mas aos poucos acredito que essa fase vai passar e outras piores virão ;)

    Não acredito em fórmulas mágicas mas busco me apoiar (ou me consolar) com literaturas sobre o tema, então se souber de qualquer livro sobre essa fase e puder indicar com certeza procurarei ler!

    Paciência e sabedoria sempre!

    Bjs,

    Camila - Mamãe da Julia
    (tinha escrito um outro comentário mas acho que não foi por isso estou mandando de novo, mas se receber os dois pode deletar um deles)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila , é isso mesmo! que bom que o post fez você nao se sentir a única!
      beijao

      Excluir
  5. Katia, parabéns!
    Como vc consegue traduzir em palavras o exato sentido de toda esta imensa alegria e por vezes frustração que é ser mãe. Sei exatamente como é. Lá em casa são três amores (de 9, 8 anos e 10 meses)que também têm seus momentos de verdadeiras pestes e tudo o que se quer é sumir, teletransportar-se para um reduto zen.
    Por mais que a gente diga que não, tem horas em que só apertando o botaozinho de "off" dá para suportar. Definitivamente não é fácil, mas vamos que vamos, tentando sempre fazer o melhor (e às vezes gritando e deixando gritar, né).
    Paranéns pelo blog!
    bjs
    Fernanda (mãe do Daniel, da Maria Clara e da Maria Carolina)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo carinho Fernanda!
      beijos para voce que é mãe de 3 e deve ser ainda mais complicado !

      Excluir
  6. É por isso que sempre me declaro a você, pq vc não nós faz pensar que o mundo das mães blogueiras são flores como a maioria mostra em seus posts, vc Katia é real, vc é humana, mãe exemplar, que assim como milhares de mães exemplares também perdem a paciência, pq hoje temos que dar conta de tudo, e chega uma hora, mesmo que raro, pum, acontece, mas passa como vc mesma relatou, obrigada por não me fazer sentir pior por minha vida de mãe não ser só cor de rosa, pois eu também tenho meus dias cinzas, e lendo um relato como seu de uma pessoa que admiro e tenho como exemplo, vejo que assim como vc eu também estou fazendo o melhor para o meu filho, que tem apenas 11 meses e já me desafia, faz mainha, e chora quando e contrariado, mas sempre peço forças para educá lo com muita responsabilidade e acima de tudo amor!

    Obrigada,
    Ana Paula Ramos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana Paula, muito obrigado pelo comentario pois é todo esse carinho que recebo que me dá força todos os dias para não desistir do blog. Pois não é facil dar conta de tudo! O bom é que no final sempre damos um jeito ne?
      beijos e obrigado de coração!

      Excluir
  7. Katia, escrevo pela primeira vez em seu blog, parabens!!! Parabens pela sinceridade, pelo desabafo, pelo compartilhamento, enfim por tudo. Obrigada por dividir suas experiencias, vivencias, medos...E dificil no mundo real e virtual achar pessoas com tanta sinceridade. A maternidade e o momento mais sublime na vida de uma mulher, mas tambem o momento onde surgem as maiores duvidas, um dia acertando outro errando, mas principalmente aprendendo e ensinando. Obrigada pela sinceridade!! Ah, sou Karina, completamente apaixonada por ser mae da Helena (2 anos e 4 meses), aprendendo todos os dias!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Katia,

    Parabens pelo texto vc falou com o coração e mostrou com realidade e amor o que a maioria das maes passam.
    Tenho uma princesa chamada Maria que tem 1 ano e 1 mes ela e muito muito esperta e adora chamar a atencao so para ela e tem dias que haja paciência para aguentar ainda mais que trabalho o dia inteiro mas vamos ter calma que passa.
    Obrigada pelo texto abraços e muita saude para suas duas princesas que realmente sao LINDAS
    Rachel Braga

    ResponderExcluir
  9. Obrigado Rachel, muita saude e paciencia tambem com a sua princesa! beijjos

    ResponderExcluir
  10. SEMPRE LEIO O SEU BLOG,MAS NUNCA COMENTEI ANTES,MAS REALMENTE FUI TOCADA PROFUNDAMENTE POIS IGUAL A VOCE EU TB ACHAVA QUE QUANDO TIVESSE FILHOS ELES SERIAM SEMPRE MUITO BEM EDUCADOS,NUNCA DARIAM CHILIQUES ATE QUE EM 2009 NASCE MEU PRINCIPE JOAO PEDRO,LINDO..MIMADO..E DE UMA PERSONALIDADE MUITO FORTE..VIVE MEDINDO FORCA COMIGO...A MINHA FAMILIA DIZ QUE FUI EU QUE O CRIEI DESSA FORMA POIS ELE NAO CONSEGUE LIDAR COM A PALAVRA NAO...E TEM DIFICULDADE COM OS LIMITES IMPOSTOS...MUITAS VEZES FICO TRISTE,ACHO MESMO QUE ERREI,MAS QUERENDO ACERTAR..MAS FUI A MELHOR MAE QUE EU PODIA SER...MAS MESMO ASSIM ELE COM TRES ANOS E MEIO E O MAIOR PRESENTE DE DEUS PRA MIM.HOJE TENHO MAIS UM LINDAO EM CASA,O ANTONIO..9 MESES..BEM MENOS MIMADO..MAS INDEPENDENTE..ESPERO DESTA VEZ SER UMA MAE AINDA MELHOR DO QUE FUI PARA O JOAO.
    MAS ENTRE ERROS E ACERTOS..SOU MUUUITO FELIZ COM MEUS 2 AMORES EMBORA EDUCAR TEM SIDO UMA MISSAO QUASE IMPOSSIVEL...
    BEIJOS A TODAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Educar é uma missão mais do que dificil ne?
      Mas tenho certeza que a gente sempre faz o melhor!
      beijao

      Excluir
  11. Oi querida Kátia

    Como sempre escrevo aqui, vc é muito
    generosa por compartilhar conosco sempre o seu melhor.
    Ainda nao entrei nesta fase mas acredito que é bem isso. Bjao Flávia Lordello

    ResponderExcluir
  12. Aqui em casa não tenho esse problema, meu Dani é um pouco tímido então não faz birra nem nada. Mais é muito difícil lidar com uma pessoa tímida pq é mais difícil de saber o que ela esta sentindo,o que precisa ou alguma coisa assim acho que deveria postar alguma coisa sobre crianças mais tímidas para ajudar pq realmente quero ajudar o meu filho.

    ResponderExcluir
  13. Querida Kátia;
    Eu mais do que ninguém te entendo perfeitamente. Tenho uma filha de 3 anos e meio, a Maria Eduarda e estou esperando a Isadora, estou entrando no sétimo mês. A Maria Eduarda esta simplesmente fora de controle. Esta muito manhosa e birrenta . Chiliques então? Nem se fala. E já tem um ano mais ou menos que ela entrou nessa fase. Depois que eu engravidei, piorou bastante, até o pediatra dela reparou. Mas enfim, não dou mole não e fui buscando recursos para amenizar a situação. Aqui em casa ela já tem o cantinho da disciplina e já conhece as regrinhas, desobedeceu vai para o cantinho. Se o cantinho por 4 minutos não resolver, eu corto algo que ela goste muito, como DVDs. E não ganha o incentivo. E ela já entende muito bem. E confesso que esses métodos da Super Nany tem me ajudado muito. Principalmente quando ela tenta ou começa a dar os tão famosos e insuportáveis chiliques.
    Bjos.
    Sabrina Silva – Brasília-DF

    ResponderExcluir
  14. Oi querida,
    Acho que foi retirado do blog o campo de pesquisa, sabe aquele que vc digita o que quer e vem o resultado da pesquisa... era tao util!! Volta ele pra nós, por favor? Bjao e obrigada por tanta ajuda ao compartilhar suas experiencias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ja voltou ! So nao sei porque ele nao encontra alguns posts. Se Voce nao encontrar algo que procura, me avisa que localizo no histórico.
      bjs

      Excluir
  15. Katia vc é uma super mãe, parabéns por tamanha dedicação! Bjs Alana.

    ResponderExcluir
  16. Adoro ler seus posts sobre a "realidade" da maternidade.
    Li esse aqui e fiquei pensando no que vem pela frente, pois tenho uma bebe de nove meses e acho mesmo q ela vai ter uma personalidade forte e sera adepta dos chiliques.
    Diferente do meu outro filho de 10 anos, que memo os meninos tendo a fama de serem mais danados acreditem NUNCA deu nenhum chilique sempre conversei com ele e ele sempre entendeu e nunca me fez passar nenhuma vergonha.
    Mas como acho q não vou ter essa sorte duas vezes fico só pedindo paciência para enfrentar a educação dela!
    Boa sorte com a Bruna!!!!

    Bjos... Camila.

    ResponderExcluir
  17. Katia, como sempre vc foi demais nesse post! Sempre sincera, honesta, realista. Afinal, mesmo amando nossos filhos mais do que a vida, mais do que tudo, tem dias que dá vontade de ter um controle remoto com a tecla mute, né? Isso porque minha filha ainda tem só 6 meses e é um anjo. Mas mesmo anjos tem dias ruins...
    E vc tocou super bem num ponto. As pessoas adoram julgar sem saber o que está se passando na realidade. Pais maravilhosos e que educam super bem seus filhos passam por "vergonha em publico" tb, né? E as pessoas tem que parar de julgar.
    Mas é verdade, muita coisa que eu pensava sobre maternidade eu já descobri que não é bem assim... Vivendo e aprendendo.
    Beijo e continua sempre assim, a verdade nua e crua.

    ResponderExcluir
  18. Kátia,

    impressionante como me identifico com os seus posts...Tenho uma de 2 anos e 3 meses e uma de 5 meses...e passo EXATAMENTE as mesas fases que você... a diferença é que as minhas foram pra escola mais cedo, o que me ajuda um pouco na fase de ficar longe delas...
    A Giovana (mais velha) está na fase da independencia, mas ao mesmo tempo do desafio, de fazer birra, de saber o que quer e na hora que quer...e a Luiza cada dia mais graciosa conquistando todo o universo a ser descoberto pelos bebês!
    Mas a minha maior alegria é ve-las brincando juntas, a Giovana cuidando da Luiza e conversando com ela pra não chorar! "Calma Lulu, Nana tá aqui!" Não tem preço!!!

    Nathalia Lima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é demais quando os filhos começam a brincar juntos não?
      isso compensa qualquer dificuldade!
      beijao Nathalia

      Excluir

 
Minhas diKAs Baby © Copyright 2011 | Design por Katia Ouang. Codificado por Delikka.