Vida de Mãe - O Mundo Real


Tenho me questionado muito sobre como educar minhas filhas, e há pouco tempo passei por uma situação que me incomodou bastante e fiquei sem saber como reagir.

Nunca como mãe havia vivenciado uma cena de ver a Bruna sentida e magoada por um comentário de outra criança. 

Eu ainda estou no processo do desfralde da Bruna ( que será pauta para o post da semana que vem) e por orientação resolvi não forçar e deixá-la a vontade no seu tempo. 
Nunca esquentei minha cabeça com isso e nem pretendia esquentar.

O que aconteceu foi o seguinte... fui trocar a Bruna no banheiro da Estação São Paulo quando fomos ao Show do Palavra Cantada. De repente entra uma menina na faixa de 4 anos com a mãe , aponta para a Bruna e fala para a mãe dela: "Olha mamãe, um bebezinho" !
A Bruna olha para a menina e fala: "Eu não sou um bebezinho, a Manu que é"
Fiquei contente dela esboçar um comentário de defesa.
Mas em seguida a menina começou a rir e falou: " Você é sim, só bebezinho usa fralda! bebezinho, bebezinho, bebezinho" !
E ficou rindo da Bruna.
A mãe dessa menina, meio sem graça, tirou ela de lá e saiu. 
Não preciso nem comentar o que senti....

Em seguida entra outra mãe com 2 meninas, e por uma coincidência muito chata elas apontaram para a Bruna e falaram entre elas: Nossa, que menina grande usando fralda! E começaram a rir.

E dessa vez a Bruna olhou para mim com lágrimas nos olhos e falou: Mamãe, eu não sou bebezinho! Não sou! 

Ah se eu pudesse descrever a raiva que senti daquelas crianças e também a angustia que senti vendo que pela primeira vez minha filha sofreu, sentiu e se aborreceu. Fiquei sem chão, tentando deixar a raiva de lado para poder contornar essa situação e conseguir conversar com a Bruna. Pois a minha presença ali era seu porto seguro.

Sei que as crianças não fizeram por mal, é claro. 
Criança é inocente, mas pode ser muito cruel sem saber.

Depois disso a Bruna não quis mais ver o show, ficou super impaciente, começou a fazer malcriação e estava nitidamente chateada. 

As vezes tenho a sensação que sou uma ótima mãe. Mas as vezes me parece que não tenho estrutura emocional para lidar com certas situações, que daqui para frente serão cada vez mais frequentes.

Agora a palavra da moda é o Bullying. 
E o bullying nada mais é que uma agressividade verbal ou física. E isso sempre existiu e me preocupa bastante. 
Agressões bobas seja porque a criança usa óculos, é gordinha, é oriental... e até fatores mais sérios que envolvam violência física mesmo.
Muitas vezes o que pode parecer uma besteira como no caso da Bruna, pode até trazer traumas para uma criança que não tenha ainda maturidade para entender.

Tenho que ter sabedoria em ensinar minhas filhas a lidarem com as diferenças de maneira natural,sem preconceito, e também ensiná-las a se defenderem quando eu não estiver por perto. 
Mas como fazer isso?

A cada dia que passa venho me deparando com novidades no mundo da maternidade que não imaginava passar. Muito mais do que saber entender um choro, acordar de madrugada ou cuidar de uma assadura. Isso para mim nunca foi uma dificuldade.

Muito se fala do desafio de cuidar de um bebê e como isso muda as nossas vidas... 
Mas alguém nos prepara para quando seu bebê começa a se tornar uma pessoa de verdade e precisa viver sua própria vida, que não é só feita de conto de fadas, mas também de aborrecimentos, frustrações e dificuldades?
Como a Bruna reagiria se eu não estivesse por perto?

Eu estou crescendo, amadurecendo e aprendendo com as minhas filhas. 
Só acho que não estou, e nunca estarei, preparada para vivenciar o sofrimento delas. Seja em qual intensidade for. 
Então espero e torço para que a vida seja muito boa com as duas, e evite que pessoas maldosas e agressivas cruzem seus caminhos.

Aqui não me cabe mais proteger, mas sim orientar e informar.

E para nós mamães, bem vindas ao mundo real !!!
| Categorias:

23 comentários:

  1. Olha Kátia, eu imagino a sua raiva e tristeza em ver a sua pequena triste. Mas, o mundo é assim. Eu acredito, q qto mais cedo mostrarmos p os nossos filhos q a vida não é um conto de fadas, melhor. Pq depois, a vida vai ensinar de todo jeito.
    Temos q ser pais claros e objetivos diante dos questinamentos dos nossos filhos.
    O meu bb ainda tem 10 meses, posso até mudar de opinião, mas é assim q eu penso.

    ResponderExcluir
  2. O teclado travou...
    Aff*
    bjs!
    Dri

    ResponderExcluir
  3. Ai Katia, fiquei com raiva pela Bruna, só de ler. Eu nao sei o que te dizer porque nao sei como reagiria, minha bebe ainda é novinha. E na verdade, aprendo aqui no blog com voce. O que voce disse para contornar a situacao? Bjs. Re.

    ResponderExcluir
  4. Oi Kátia,

    Me deu vontade de chorar lendo seu post. Nunca aconteceu da minha filha ficar tão chateada quanto à Bruna, ela não é muito de ligar para comentários, mas quando acontece alguma situação que pode constrangê-la, eu depois converso com ela e mostro que todo mundo tem pontos fracos. Sei que não é muito bonito ficar descrevendo as fraquezas alheias, mas é a forma que eu acho de mostrar ela que pontos vulneráveis todos nós temos. Continue fortalecendo a autoestima da sua filha, querida.Sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Katia,
    o meu abraço!!
    Em vocês duas.
    Sigo seu blog a muitooo tempo, amo suas dicas e jamais comentei, mas hoje me sinto tocada por esse assunto, que você possa ser uma mãe sábia e que continue firme para ser o porto seguro dessas duas princesas.
    Um beijo
    Mãe da Lalá

    http://adoceesperadelaura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. e a cada dia temos que pedir sabedoria para criar, orientar e ajudar nossos filhos a enfrentar a realidade que as vezes e cruel, meu filho tem 1ano e 2meses, e já anda, andou com 1 ano, porém não fala quase nada, e todos falam nossa até hj ele não fala, bla bla bla, e muito chato, eu só torço para ter sabedoria para orienta lo sempre,
    um beijo
    ana paula ramos.

    ResponderExcluir
  7. Amiga querida! Vc como senpre me emocionando com seus relatos! Sao sempre tao sinceros e verdadeiros! Apesar da Isabella e do Luca serem tao pequenininhos eu me vejo passando por essas situacoes no futuro e tenho certeza que lembrarei das suas historias!
    Que Deus continue iluminando o nosso caminho e nos orientando para conseguirmos cumprir a maior tarfa de nossas vidas: criar, educar e fazer com que nossos filhos fiquem preparados para o mundo real.

    Beijos no seu coracao!

    Deia Craide Toscano

    ResponderExcluir
  8. Eu sempre ouvi dos meus pais que quanto maiores os filhos, maiores os problemas. Até minha filha crescer eu também não acreditava em mais essa verdade, afinal, o que pode ser mais desgastante do que noites em claro? do que neném doente?

    Sim, o sofrimento emocional dos nossos filhos... Doença que antitérmico e antibiótico não curam.

    Na minha cabeça, a gente deve educar, forçar sim, antes de episódios como esse acontecerem. Dar o mínimo de margem pras pessoas falarem. Talvez se vc tivesse forçado um pouquinho pra ela sair da fralda, ela tivesse levado numa boa e não teria passado por isso... Não sei se me fiz entender.

    Então eu procuro educar com muuuito amor e carinho, mas com rigidez tbm, pq a rigidez que a vida tá guardando pra elas nunca vai ser tão bondosa e compreensiva como a minha.

    Espero que vc esqueça esse episódio tão rápido quanto ela, q tenho certeza já nem se lembra mais disso...rsrsrs

    Boa sorte pra vc e suas pequenas nessa empreitada!!!

    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pamela, eu fiz de tudo para tirar a fralda, mas ela nao estava pronta ainda. E nao adianta forçar, nem um pouquinho.
      Essa semana ela esta oficialmente desfraldada, ela decidiu, ela escolheu e tudo certo.
      tenho que respeitar o tempo dela e sempre da certo.
      isso poderia ter ocorrido com qq outra coisa que nao fosse a fralda. Pois sempre as pessoas acharão algo para comentar ou comparar.
      beijao

      Excluir
    2. O forçar que eu quis dizer, Katia, é tipo conduzir, orientar, tocar no assunto, fazer ela despertar pra coisa, mostrar... Isso vc fez e ela te devolveu mostrando que ainda não estava pronta e vc respeitou. Aí sim! Achei que vc estivesse simplesmente só esperando o estalo dela, sem fazer nada. Pq minha filha tem amiguinhas da idade dela (4 anos) que ainda usam fralda e as mães acham super normal... Não julgo e nem sei o que eu faria, pq te confesso que ao menos nesse ponto, foi fácil pra mim pq minha filha desfraldou rápido.

      Excluir
    3. Cada criança tem seu tempo...para tudo...que bom que essa semana chegou a hora para a bruna. O desfralde é uma conquista enorme. Parabéns para vcs duas. Beijos carol - mãe do Bernardo.

      Excluir
  9. 4 anos é demais né? a Bru tem 2 anos e 8 meses... e é claro, eu sempre oriento, mas nem sempre a gente tem exito em tudo que imaginamos nao?
    o que vale é que agora ela esta sem fralda e super feliz!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Poxa gente, ja aconteceu algo parecido comigo eu fiquei super triste, assim como vc Katia.

    Esses dias vi uma foto no instagram de um bebe de 8 meses sem fralda ja. Parece que agora tudo é uma competiçao. Todo mundo tem que fazer o que todo mundo esta fazendo. As pessoas estao se esquecendo de que cada um é cada um, cada pessoa e criança tm necessidades diferentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, 8 meses é loucura... para que isso ne?
      entao loucura por loucura, voce viu a reportagem das mães que ensinam o bebê a nao usar fraldas desde que nascem???
      Os pediatras dizem que a epoca mais adequada para desfraldar é mais ou menos 1 ano após a criança começar a andar.
      Bjao

      Excluir
  11. Nossa katia fique com o coração apertado, fiquei imaginando a reação da bruna. Vontade de pegar ela no colo kkk.

    Eu tenho uma filha de 2 anos e 10 meses a Manuela e ela saiu da fralda noturna e diurna numa boa, mas ela não conseguia fazer coco no banheiro, e o pior que ela segurava por dias e acabava ficando ressecada e ai era uma choradeira só.

    Sempre que ela queria fazer coco ela pedia para colocar a fraldinha ou se não dava tempo fazia na calcinha mesmo. Não tinha conversa que fizesse ela tentar fazer coco no banheiro.
    Ai um belo dia ela falou!!! Mamãe quero fazer coco, mas no banheiro. Nossa foi uma conquista !!

    De vez em quando ela acaba segurando bastante, mas mesmo assim faz no banheiro.

    Deixei a Manuela no seu tempo e agora graça a deus está dando tudo certo, espero que logo logo a Bruna também encontre o seu tempo.

    Um beijo e boa sorte.

    Sarah Castro

    ResponderExcluir
  12. Acho q vc fez certo! Mas minha dica se chama DIALOGO! Na hora, na frente da mae da menina, mesmo desconhecida eu falaria algo assim:Qual seu nome? Mariazinha, tudo bem? Essa e a Bruna, e eu sou a mae da Bruna, ela nao e mais bebe, mas as criancas sao diferentes, uns sao mais rapidos, outros demoram um pouquinho mais, ela esta aprendendo ainda... Entao, eu coloco a fralda para ela nao esquecer... tudo bem q ela demore um pouco mais ne? Vc ja aprendeu? Que bom! A Bruna ja esta quase, so falta mais um pouquinho... Ensinaria a menina e a mae dela! Outro dia vi uma frase, nas redes sociais q me chamou a atencao: "Alem de se preocupar com q mundo estamos deixando para os nossos filhos, temos que nos preocupar com que filhos estamos deixando para este mundo!"

    ResponderExcluir
  13. Tudo o que mexe com nossos filhos mexe profundamente conosco. Imagino como seu coração doeu com essa situação. É, acho que ainda temos muito o que aprender, lidar com nossos próprios sentimentos já é tão difícil, imagina com os sentimentos dos nossos filhos.
    A verdade é que crescemos muito quando nos tornamos mães, e tenho certeza de que ser mãe é um aprendizado diário.
    Eu mesma mudei muito depois que me tornei mãe. Temores que antes eu tinha não tenho mais, e acho que amadureci muito.
    Me imagino sim passando por esse tipo de situação, e me imagino também sofrendo pelo meu filho. Sabemos que as crianças são seres muito transparentes, mas também sabemos que muito do que eles falam ou fazem são reflexo daquilo que nós falamos e fazemos. Por isso devemos ter cuidado com tudo o que ensinos aos nossos filhos.
    É muito bom saber que a Bruninha já não precisa mais das suas fraldinhas, e que com certeza ela não se lembra mais desse episódio.
    Esperamos estar preparadas para essas situações!!
    Beijos Kátia!!

    ResponderExcluir
  14. Aprendi muito com essa discussão... ainda não chegou a hora da minha filhota, mas, já ajuda bastante as mães de primeira viagem...

    ResponderExcluir
  15. Olá, Katia!
    Tenho duas filhas, uma de 5 anos e outra de 5 meses. Já passei por isso várias vezes e senti o mesmo que vc, por isso, posso dizer que são situações até "boas".
    Explico: são oportunidades para que nós, mães, abordemos essas questões com nossos filhos.
    Acho importante dizer a vc que já vivi, inclusive, o outro lado: minha filha magoando, chamando outra criança de bebê porque ela usava chupeta.
    A diferença é que EU me posicionei e contornei a situação constrangendo a minha própria filha pra que ela sentisse que isso não é legal.
    Você ainda vai ver a sua filha fazendo isso e é até pior, tenha certeza disso.
    Mas, sei que a vontade é de voar em cima das crianças, né? hahaha
    Relaxe, aos poucos elas começam a se defender sozinhas e nos enchem de orgulho.
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  16. Fiquei super chateada de ler isso, sentida por ela. Nem estou no desfralde por aqui (2 anos e meio), e creio que a gente deva respeitar e não forçar a hora dos nossos pequenos. Então querer ensiná-los a tirar algo dizendo que não são mais bbzinhos (o que foi provavelmente o que essas meninas escutaram qdo foram convencidas a retirar suas fralda) é exatamente um ato (não intencional) que ensina os nossos filhos a não respeitar o outro e a diversidade que existe no mundo. Palmas para vc!

    ResponderExcluir
  17. Pois é Kátia, me deu um nó na garganta lendo esse post. Como agir? A minha Manu completa 1 aninho agora e até qdo um outro bebê tira um brinquedinho dela com certa estupidez, ja fico tão triste, acho q tb não estou preparada para esse tipo de situação q com certeza virá. Eu peço o mesmo que vc, que apenas pessoas boas, de bem cruzem a vidinha dela. Acho q vou precisar de ajuda psicológica qdo chegar a hora!! Hj minha Manu esta com o primeiro resfriadinho, e sei q é normal, mas to com o coração apertado! Vim aqui procurar posts pra me tranquilizar um pouquinho! Bjos!!!! Vivian

    ResponderExcluir
  18. Lydiane O. Rodrigues18 de junho de 2013 11:06

    Nossa quase chorei por você e pela sua pequena!
    Tenho uma bebe de 1 ano e 2 meses.
    O que eu acho é que essa mãe deveria ter no minimo conversado com a menina e mandado ela pedir desculpas!
    O grande X da questão é que nossos filhos se espelham em nós, e se a mãe vira as costas ou acha tudo bonitinho as crianças continuaram magoando as outras!
    Então na verdade é que muitas MÃES é que não estão preparadas para EDUCAREM! Neste aspecto sou radical e acho que crianças tem que ter limites!!!
    Um beijo! Lydiane

    ResponderExcluir
  19. Que situação chata, sei muito bem o que isso pode causar em nos, pais e nas crianças. Minha filha na mesma idade da Bruna passou por uma situação constragedora que ate hj, ela tem 8 anos, ainda sofre consequências. Ela estava na escolinha, de nome bem conhecido, e na hr do parque o xxi escapou, ao contrario daa criança que falou com a Bruna, com a minha filha quem falou que feio, bem feito e vai ficar mOlhada o intetvalo inteiro,foi a assistente da professora. Ela ficou tao constrangida que ate hj o xixi dela escapa a noite. Ja fui en varios terapeutas em ainda nao consegui resolver a situacao. Ela eh convidada p dormir na casa das amigas, quer ir, mas tem vergonho. Triste pensat que o mundoas vezes eh tão cruel p nossas pequeninas. Bj

    ResponderExcluir

 
Minhas diKAs Baby © Copyright 2011 | Design por Katia Ouang. Codificado por Delikka.